Cerca de 700 palestrantes e mais de 200 atividades científicas dão variedade e consistência aos quatro dias de evento na capital colombiana.

Diversidade e qualidade científica, representatividade das sociedades nacionais e atividades realizadas em português, espanhol e inglês. Estas foram as preocupações-chave dos organizadores do XXXI Congresso Pan-americano de Oftalmologia, refletidas na grade científica e programação social do evento que acontecerá entre os dias 5 e 8 de agosto em Bogotá, na Colômbia. Para a presidente da Associação Pan-americana de Oftalmologia (PAAO, na sigla em inglês), Ana Luisa Höfling-Lima, trata-se de um congresso que permite e estimula a diversidade, tanto na programação das atividades quanto nos intercâmbios entre palestrantes e congressistas.

Para contemplar tamanha multiplicidade, o evento, que é bianual, começou a ser organizado com pelo menos
quatro anos de antecedência pelo comitê executivo da PAAO em conjunto com o comitê organizador local, presidido pela doutora Ángela María Gutiérrez, além de 26 sociedades nacionais e 16 sociedades de subespecialidades supra-nacionais. “Observamos que a cada dois anos que realizamos o congresso, mais e mais os participantes de países latinos e da América do Norte se preocupam em estar presentes durante todo o evento, não apenas dando palestras, mas aproveitando muito o congresso em si. No passado isso não era bem assim. A qualidade do congresso tem evoluído, estamos trazendo pessoas do mais alto nível.
Inclusive tem aumentado a quantidade de participantes da Europa, como Portugal e Espanha, tanto congressistas
como palestrantes”, relata a presidente da PAAO.

Para este ano são esperados mais de três mil congressistas na capital colombiana. Cerca de 700 palestrantes
irão se revezar em uma grade de mais de 200 atividades, entre simpósios, cursos e mesas-redondas ao longo dos quatro dias de congresso. Haverá, ainda, a apresentação de trabalhos livres, correspondentes aos 19 eixos temáticos estabelecidos pelo congresso, como glaucoma, catarata, retina e vítreo e cirurgia refrativa, para falar dos temas “clássicos”, como também tecnologia da informação, oftalmologia global, registros eletrônicos de saúde, políticas de saúde e história da oftalmologia.

Entre os desafios de se organizar um evento dessa magnitude, Ana Luisa aponta as incertezas e turbulências do
atual cenário político e econômico da América Latina. “O desafio é conseguir trazer oftalmologistas de países que estão com muitas dificuldades hoje, como Venezuela e Cuba. Cuba pela dificuldade do acesso, e Venezuela pelos problemas políticos. Os oftalmologistas estão com menos disponibilidade para viajar”, explica. Outro desafio apontado por ela é manter o alto nível científico dos simpósios. “Nós estimulamos os jovens na parte de apresentação de temas livres, das discussões de caso, mas nas apresentações principais nos preocupamos em manter a qualidade com palestrantes do mais alto nível acadêmico científico.” Embora o evento não tenha um tema específico, como costuma ocorrer em outros encontros científicos da especialidade, os organizadores locais adotaram o mote “Bogotá, infinitas possibilidades” como complemento ao nome do congresso, reverberando, de alguma forma, os números superlativos do evento e as ilimitadas possibilidades
de aprendizado e intercâmbio. Nas palavras do oftalmologista Paulo E. C. Dantas, atual secretário para
Língua Portuguesa da PAAO e vice-presidente executivo da associação eleito para o biênio 2015-2017, esse congresso representa um marco e principal evento pan-americano bianual. “Será comparável ao Congresso da Academia Americana de Oftalmologia, com foco em nosso continente.”

centro_internacional_bogot_edicao85

GRADE CIENTÍFICA

Dantas afirma que a grade científica do congresso desse ano foi pensada com a finalidade de suprir os congressistas com o que há de mais “avançado e atual” nas diferentes subespecialidades. “Em conjunto com a PAAO, importantes e destacadas instituições de assistência médica mundial estarão presentes com simpósios e cursos de atualização, feitas por seu corpo clínico, como o Bascom Palmer Eye Institute, Wilmer Eye institute, UCLA, a Escola Superior de Oftalmologia do Instituto Barraquer e o International Council of Ophthalmology (ICO)”, informa.

Entre as atividades, Dantas destaca as da área de transplante de córnea, que abordarão detalhes das novas
técnicas de transplantes lamelares da córnea, que tornam o procedimento rápido, seguro e reprodutível,
sem a necessidade de recuperação prolongada. “Especificamente a técnica de DMEK (Descemet Membrane
Endothelial Keratoplasty) será abordada por uma banca de experts, que mostrarão o caminho das pedras em
detalhes”, adianta o especialista.

Será discutido, ainda, o uso da tecnologia do laser de Femtosegundo nas cirurgias de catarata e implantes de
anéis intra-estremais, o uso de técnicas de tratamento do ceratocone e novidades na área de crosslinking do colágeno corneal. “Na área de retina, serão discutidos os resultados e aplicações das injeções intra-oculares − quando indicar, que droga indicar, qual o regime e frequência do tratamento, como acompanhar. Haverá também uma sessão especial devotada para os implantes de microprocessadores na retina para reabilitação visual de cegos”, informa Dantas. Novidades no manejo de glaucoma, estrabismo, oncologia ocular, uso de filler sem plástica ocular e outros temas estão na grade científica dessa edição do congresso.

De forma especial, o vice-presidente eleito da PAAO chama atenção para o “Summit of the Americas”, encontro
no qual presidentes e representantes de todas as associações oftalmológicas afiliadas à PAAO discutirão temas
e projetos de interesse continental.

Ainda na grade científica, serão realizadas quatro conferências magistrais. No dia 5 de agosto acontecerão
três das quatro atividades: o especialista José Ramiro Prada Reyes falará sobre o valor da ecografia preparatória na avaliação da catarata; já o doutor Fernando Arévalo apresentará a conferência “Prótese retinal Argus II em pacientes com retinite pigmentosa: os resultados do grupo de estudo de retina colaborativo KKESH”; já o professor Elmer Y. Tu ministrará a conferência “Da investigação à inovação: infecções corneanas atípicas e por Acanthamoeba”. No dia 7 de agosto será a vez do professor Mark Mannis falar sobre a anestesia na oftalmologia desde uma perspectiva histórica.

ana_luisa_inovacao_edicao85

paulo_dantas_inovacao_edicao85

PROGRAMAÇÃO SOCIAL E PRÊMIOS

Além da programação acadêmica, estão previstas também atividades sociais durante o congresso com o objetivo de integrar os participantes. Uma recepção especial acontecerá no dia 4 de agosto no Museu Nacional de Finas Artes. No dia 5 tem lugar a cerimônia de abertura. O destaque das atividades está no dia 6, data em que acontecerá um jantar beneficente da Fundação Pan-Americana de Oftalmologia no restaurante Andrés Carne de Rés, famoso nacional e internacionalmente. A renda arrecadada será revertida para os projetos educacionais e de prevenção da cegueira da PAAO. A compra do ticket para o jantar deve ser feita diretamente no site da associação.

Como tradicionalmente acontece nos congressos bianuais da PAAO, esse ano também serão entregues
prêmios distintivos a especialistas que se destacaram em áreas e ações específicas. São quatro láureas: “Mark
Tso Golden Apple Award”, do International Council of Ophtalmology, que este ano irá para Peter Quiros; “A.
Edward Maumenee Medal for Distinguished Services”, concedida a Cristian Luco; “Benjamin F. Boyd Humanitarian Award”, que será entregue a Zélia Correa e Michael W. Brennan; e a “Gradle Medal for Good Teaching”, que este ano será de Enrique Graue.

O site oficial do XXXI Congresso Panamericano de Oftalmologia (www.paaobogota2015.com) oferece informações sobre a programação científica, área para inscrição de trabalhos livres, inscrição geral e sugestões sobre passeios turísticos pela capital colombiana, além de dicas úteis sobre o clima, moeda, gastronomia, história, compras e transporte na capital colombiana.