A inspiração veio de fora, mais precisamente de um evento que aconteceu em 2004, o “The Forbes MD Lectureship”, criado em homenagem ao Dr. Forbes, por sua carreira brilhante na Columbia University Medical Center (CUMC) e suas realizações notáveis no campo do glaucoma. Na ocasião, foram feitas a ele perguntas pré-selecionadas, principalmente sobre os temas sucesso e liderança, para estimular os membros da Instituição a seguir este caminho. O mesmo já havia ocorrido no Moorfields, na Inglaterra, alguns anos antes.
Naquele evento, estava presente na CUMC o brasileiro, doutor em oftalmologia, Remo Susanna Jr., Professor Titular da disciplina de Oftalmologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, diretor Técnico de Saúde, responsável pela Divisão de Clínica Oftalmológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, médico do Hospital Israelita Albert Einstein. Segundo Susanna Jr., foi um evento memorável. Tanto, que anos depois, ao compartilhar suas impressões com suas filhas sobre a importância de um encontro desse formato no Brasil, elas tiveram a ideia de criar algo nos mesmos moldes e propósito, voltado aos médicos daqui. Nascia, então, o ELAM (Encontro de Líderes e Acadêmicos em Medicina), sob a tutoria de Carolina Nicolela Susanna, Bianca Nicolela Susanna, Fernanda Nicolela Susanna e José Henrique Miranda Borducchi.
Segundo Carolina, “Nosso objetivo era despertar nos jovens a vontade e as iniciativas para que sejam líderes a seu tempo, por meio do contato pessoal com proeminentes líderes da atualidade”, explica. “Estes líderes, cada um em sua área de atuação, mostram como atingiram o sucesso profissional e como combinam este sucesso com a vida familiar e social”, diz. Vale lembrar que o formato do ELAM permite perguntas, discussões e debates, entre os participantes e líderes, sobre qualquer aspecto da vida acadêmica profissional e pessoal.

A primeira edição
Em 17 de dezembro de 2016, o ELAM reuniu aproximadamente 40 acadêmicos e teve como convidados os Professores Remo Susanna Jr., Marcello Bronstein e Davimar Miranda Maciel Borducchi. Inicialmente as perguntas elaboradas pela diretoria do ELAM foram direcionadas aos líderes e depois foram abertas aos demais participantes. O evento teve duas horas de duração e conteúdo riquíssimo, de grande valia aos profissionais de saúde, que puderam compartilhar experiências, percepções e participar de um seleto encontro entre acadêmicos e os líderes.
Como explica o secretário de eventos do ELAM, Yuri Justi, a entidade ELAM foi idealizada por alunos e professores de medicina, com o objetivo de divulgar os pensamentos dos mais renomados profissionais e professores da área médica de nosso tempo. “Promovemos eventos interativos com acadêmicos aspirantes a líderes, como uma oportunidade de suscitar o debate sobre os aspectos políticos, de pesquisas e ensino da área da Saúde”, diz. A entidade, atualmente, conta com jovens estudantes de medicina das principais escolas do país, como a Faculdade de Medicina da USP, ABC, Santa Casa, UNIFESP, Santo Amaro e São Camilo.

Troca de experiências e aprendizado
O Professor Doutor, chefe da Unidade de Neuroendocrinologia, disciplina de Endocrinologia e Metabologia do Hospital das Clínicas, FMUSP, Marcello D. Bronstein, compareceu ao evento acompanhado de sua esposa, a jornalista Silvia Poppovic, com o intuído de despertar nesses jovens a capacidade de liderar e reforçar nos mesmos os princípios da ética e do exercício da medicina em sua excelência. Destaques do evento, o casal apresentou posições bastante claras e objetivas, que seguramente ajudarão os acadêmicos a enfrentar as adversidades que surgirão em suas vidas.
“A audiência foi formada por estudantes de medicina de várias escolas e séries, que formularam perguntas dirigidas a aspectos profissionais e pessoais das respectivas carreiras, o que foi, sem dúvida, uma experiência muito produtiva, tanto para os estudantes como para os palestrantes”, lembra Bronstein.
Para Susanna Jr., o evento foi muito inovador e com um papel importante no campo médico em nossa sociedade. “Parafraseando um brilhante escritor britânico, Brian MacArthur, ‘onde se encontram as visões e as palavras que inspiram os homens e mulheres a fazerem grandes ações com entusiasmo ou mesmo paixão’”, o médico acredita que é nisto que se baseia a criatividade do ELAM: inspiração. “Colocar líderes de distintas áreas da medicina lado a lado, com o intuito de transmitir suas vivências e experiências, poder oferecer aos mais jovens ferramentas para que estes tornem seus sonhos realidade é fascinante”, defende. Ele lembra, ainda, que o seu mentor, Steven Drance, Professor Titular da Universidade de British Columbia (Canadá), um dos mais renomados glaucomatólogos do mundo, por meio de seus ensinamentos profissionais e humanos mudou a sua forma de pensar e o inspirou a perseguir a excelência nos diferentes aspectos de sua vida. “Por outro lado, também me deu a oportunidade de transmitir estas experiências para colegas mais jovens na profissão, resultando em um número expressivo de profissionais competentes e cuja retidão profissional é também transmitida a novas gerações. Alguns destes colegas são mundialmente reconhecidos, tornando-se professores titulares de universidades no Canadá e nos Estados Unidos”, enfatiza.
O oftalmologista ressalta, contudo, que existem poucos locais na Terra como o Brasil, onde se desperdiçam tantos talentos, energia humana e intelectos, materiais estes muito importantes para o bem-estar e desenvolvimento da sociedade. Para ele, este aspecto de nossa cultura e de nossos governantes dificilmente será mudado em curto prazo, com grande ônus para todos, mas existe a oportunidade de todos os médicos, engajados, oferecerem novos caminhos para a juventude. “Por meio da formação de líderes capazes, honestos e de caráter, podemos minimizar o sofrimento do próximo e alavancar o desenvolvimento médico com suas pesquisas”, endossa.
Já para o oftalmologista Julio Zaki Abucham Neto, também presente na primeira edição do ELAM, a experiência foi engrandecedora, uma vez que reuniu acadêmicos de grandes faculdades de medicina de São Paulo, todos com um sonho em comum: tornar-se médicos de excelência. “Acredito que para alcançar este objetivo todo aluno precisa de bons exemplos para se espelhar e mentores que o guiem para caminhos corretos. Certamente, no encontro grandes nomes da medicina puderam contribuir com sua enorme experiência e mostrar que, com muita dedicação, sabedoria e ética, é possível crescer com bases sólidas e almejar um posto de liderança em sua área”, diz.
“Em uma época difícil pela qual a medicina passa, com alguns de seus valores postos em xeque, Susanna Jr. deu uma contribuição valiosíssima, ressaltando a importância de se buscar sempre a essência da boa prática médica, baseada em muita pesquisa, estudo, dedicação, comprometimento e ética profissional”, conclui Abucham Neto.
“O primeiro sentimento ao ser abordada sobre o ELAM e sabendo como ele se daria, foi de estar diante de um grande desafio. A questão era como atrair a atenção de jovens espectadores apenas conversando sobre experiências passadas, algumas das quais distantes da realidade deles.” Estas foram as primeiras percepções da hematologista Davimar M. M. Borducchi, uma das convidadas a abrilhantar o evento. “Para mim, um dos pontos altos de toda a discussão foi sobre como obter sucesso, ou o mais difícil, como encontrar a felicidade dentro do sucesso?”, lembra. “Então, me veio à mente a teoria do filósofo grego Aristóteles sobre o ‘eu equilíbrio’, ou melhor, ‘é preciso buscar o equilíbrio, que é a virtude, a coragem em si’. Sim, talvez o segredo do sucesso e de estar feliz com ele tenha a ver com a coragem e reconhecimento em si mesmo”, pondera. “À medida que a reunião passava, sentíamo-nos mais soltos e de certo modo contentes, porque os pensamentos eram os mesmos e os desfechos muito parecidos, mesmo que os caminhos diferentes. Afinal, a medicina é uma das poucas profissões na qual doamos a maior parte do nosso tempo nos dedicando à vida do outro”, afirma.
Um tema bastante discutido foi sobre o quanto é importante ser persistente, resiliente e honesto ao desenvolver qualquer atividade, e como tal atitude traz a evolução de todos os envolvidos. O aprender de forma constante, quase como uma filosofia de vida recorrente, de modo a buscar a excelência em trazer ao próximo e a si mesmo, felicidade, também envolveu calorosamente todos os presentes.

Próximas ações
Carolina Susanna, que além de fundadora do ELAM é atual presidente do projeto, explica que um novo evento já está sendo organizado, e que provavelmente será realizado em agosto, em local a ser definido. “As vagas serão anunciadas futuramente, bem como os líderes que participarão do mesmo”, revela.
Para Remo, a iniciativa certamente renderá bons frutos. “Se dos 30 a 40 participantes, apenas um se espelhar no que foi dito por um ou mais líderes que participaram da reunião e se tornar um líder, o ELAM terá cumprido seu papel, pois líderes com boa formação e caráter conseguem mudar a sociedade para melhor”, comemora.
“Nossas perspectivas para o ano de 2017 são as melhores possíveis, com a divulgação crescente do projeto e adesão de novos membros”, completa o secretário de eventos, Yuri Justi. “Dessa forma, almejamos insuflar cada vez mais o espírito de líder nos jovens estudantes de medicina do Brasil”, finaliza.

BOX
Diretoria ELAM:

Presidente – Carolina Nicolela Susanna
Vice-presidente – Bianca Nicolela Susanna
Secretário de Marketing – José Henrique Borducchi
Secretário de Eventos – Yuri Justi Jardim
Secretário Financeiro – Fernanda Nicolela Susanna
Conselho Associado – Rafael Kogan Klajner, Glauco Sérgio Avelino de Aquino e Leonardo Zumerkorn Pipek

*O site do ELAM ficará pronto brevemente.